Compartilhe:

Tudo sobre gestão de pessoas.

Lorem Ipsum

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s.

Numa era em que o receio de ser substituído por alguma inteligência artificial é real, a valorização do fator humano se faz necessária. Mas, por quê? Negócios de sucesso são feitos por indivíduos e não apenas por máquinas. Então, investir na gestão de pessoas faz com que os colaboradores trabalhem engajados, impactando positivamente nos resultados da empresa.

Contudo, quando falamos de investimento e incentivo aos profissionais, focamos em estratégias de gestão de pessoas, utilizando as ferramentas desenvolvidas por especialistas na área, com objetivo de aproveitar melhor os colaboradores e crescer juntos. 

Então, a partir desse conteúdo, você vai saber tudo sobre gestão de pessoas, como ela funciona e a importância de investir nesse setor! 

O que é gestão de pessoas?

Responsável por administrar o capital humano das empresas, o profissional de gestão de pessoas está inserido em uma área importante nas organizações, pois concilia e alinha interesses mútuos a partir de um conjunto de estratégias e técnicas de recursos humanos. Dessa forma, é valorizado o entrosamento dos trabalhadores, sua capacitação, engajamento e desenvolvimento, a fim de gerar bons resultados. 

A gestão de pessoas percorre um caminho que se inicia no desenvolvimento de perfil profissional, avança na identificação no mercado de trabalho e na escolha da pessoa, mas não finaliza na contratação. As próximas etapas, como o acolhimento, desenvolvimento e retenção, são passos fundamentais para o sucesso das ações. 

Gestão de pessoas assertiva 

Portanto, uma gestão de pessoas assertiva, que possibilita uma vantagem competitiva, ocorre desde o primeiro contato do candidato com a sua empresa/marca, até a contratação e jornada dos talentos na organização. Quando há um cuidado e atenção no desenvolvimento do quando de funcionários, os colaboradores se tornam mais engajados, colaborativos e consequente mais produtivos. Além disso, analisar se houve assimilação da missão, visão e valores da empresa também é relevante. 

Mas, como criar uma sinergia entre os profissionais e a empresa? Bom, a gestão de pessoas aplica algumas estratégias, como: 

  • Identificação do perfil adequado; 
  • Receptividade com o novo profissional; 
  • Inserção do trabalhador na cultura organizacional e atividades do cotidiano; 
  • Incentivo à ética e boas práticas; 
  • Contribuição no desenvolvimento e alta performance do colaborador; 
  • Fomento à confiança mútua; 
  • Engajamento dos talentos. 

 Sugestão de leitura: Sistema de RH: como escolher

Pilares da gestão de pessoas.

Sabendo o que significa a gestão de pessoas e o papel desse setor nas organizações, a próxima etapa é conhecer os pilares que auxiliam no bom desenvolvimento das estratégias, os quais precisam ser aplicados sem exceção. 

Mas, atenção! Ter clareza sobre o modelo do seu negócio também é importante, para que esses fundamentos sejam aplicados no dia a dia da empresa de maneira correta. A eficiência na administração dos profissionais está ligada a compreensão e aplicabilidade desses pilares. 

Então, saiba quais são os pilares da gestão de pessoas: 

 1. Comunicação

Em toda história da humanidade, a comunicação esteve como um dos principais motivos da nossa evolução, e no desenvolvimento profissional isso não seria diferente. Dialogar de maneira clara e objetiva é importantíssimo para a gestão de pessoas, independentemente do meio em que ocorra essa conversa, já que principalmente com o trabalho remoto, muitos conteúdos são tratados por e-mail, ligação, chamada em vídeo e outros mecanismos. 

O objetivo aqui é manter a comunicação ativa, segura e transparente entre gestores, líderes e colaboradores. Quando é fomentada a cultura do diálogo, os profissionais se sentem à vontade para expor ideias, contribuições, dúvidas e ajuda a pensar em conjunto, a fim de gerar melhorias e resultados diferentes. 

Ouça nosso podcast como implementar a cultura organizacional mesmo remotamente. O “STARHUMANO” é mais um recurso de comunicação desenvolvido por nossos especialistas em RH 

Quanto mais integração, ainda mais motivação! 

O engajamento dos colaboradores também ocorre por conta da comunicação. A partir dessa inclusão e canal aberto para diálogo, os indivíduos se sentem realmente pertencentes e importantes no desenvolvimento dos projetos. Pessoas querem ser ouvidas, no trabalho elas querem que seus gestores as ouçam, mas quando se sentem sem voz, tendem a ficar desmotivadas. 

Comunicação interna e RH 

Além dos gestores e líderes, a área de Recursos Humanos tem uma importante contribuição no processo comunicacional porque pode utilizar ferramentas que facilitam essa tarefa, uma delas é conhecida como Portal RH ou Portal do Colaborador, uma ferramenta que centraliza a comunicação direta com o colaborador, além de benefícios que dão mais autonomia ao próprio colaborador que pode solicitar férias, segunda via de holerites, enviar documentos etc com muito mais agilidade e rapidez.  

Junto ao endomarketing, essa comunicação interna é eficiente, pois há uma integração dos setores com objetivo único de nutrir os colaboradores com informações e manter um ecossistema comunicacional. 

Envolvimento gera contribuição 

A comunicação também tem conexão com o processo de envolvimento dos colaboradores, já que por meio de reuniões, feedbacks e até mesmo com simples conversas, as pessoas são envolvidas nos projetos e podem contribuir de maneira rentável. Como consequência, o engajamento desses indivíduos resulta em um ritmo melhor de trabalho. 

#Complemente sua leitura: Por que sua empresa precisa rever sua cultura de feedback?

 2. Liderança 

Ao longo da vida cotidiana é comum que as pessoas se espelhem em algumas figuras que admiram. No ambiente de trabalho, a ideia é que esses líderes sejam vistos como referências para os colaboradores. Por esse motivo, uma das missões mais importantes para a gestão de pessoas é justamente desenvolver lideranças aptas para desempenharem esse papel. 

A aptidão de um líder é composta por habilidades técnicas e interpessoais, o famoso Soft Skills, que envolve competências comportamentais, que são sintetizadas em uma comunicação eficaz, em um olhar humano e na inteligência emocional. 

Leia também: RH: Liderança inspiradora

 

3. Motivação 

Seres humanos, diferentes de máquinas automatizadas, precisam de insumos para desenvolver um bom trabalho, ou seja, estar no automático não é nada ideal. Então, a motivação é um dos principais pilares da gestão de pessoa por ser um elemento essencial na formação do profissional desejado pelo mercado de trabalho. 

Provavelmente você está achando estranho encontrar a motivação como terceiro pilar, quando a maioria dos portais dizem ser a primeira. Mas, a lógica é simples, motivação não surge “do nada”, ela é construída a partir de ações confiáveis. A comunicação e relação saudável com seus gestores/líderes são peças essenciais nesse processo motivacional e não podem ser desenvolvidas por acaso, elas precisam ter uma intenção clara e objetiva. 

A esse ponto, já entendemos que a motivação está atrelada ao engajamento, tornando-o essencial para compor equipes produtivas, talentosas e que geram bons resultados. Dessa forma, motivar e engajar fazem com que as empresas não percam talentos para concorrentes ou para o absenteísmo, que assola organizações ultrapassadas. 

Contudo, a motivação é despertada de modo particular. Por esse motivo, a comunicação se faz necessária unida à liderança que tem um olhar humanizado, em que cada caso é um caso. 

A gestão de pessoas também pode utilizar alguns outros recursos que despertam a motivação, como: 

Conhecer os interesses dos colaboradores: por conta da pandemia e necessidade de preservar o bem-estar das pessoas, o home office e trabalho híbrido se tornaram um requisito para muitos profissionais. Já outros trabalhadores enxergam em bônus, mimos e demais ações uma forma de incentivo. 

Feedbacks contínuos: fornecer esse retorno para o colaborador é também uma estratégia de o deixar mais próximo, integrado aos processos da empresa e motivado a ampliar sua atuação, em busca de se desenvolver como profissional e parte de uma equipe. 

 

4. Trabalho em equipe 

Uma empresa é formada por gente, por isso o trabalho em equipe é um dos pilares da gestão de pessoas e merece uma atenção, especialmente no quesito de ter um olhar metódico voltado aos profissionais, para que seja destacado o que há de melhor em cada integrante. 

O envolvimento entre os membros da equipe fortalece o comportamento coletivo e sentimento de parceria. E, mesmo que a empresa tenha adotado o trabalho remoto, esses momentos de interação podem acontecer via reuniões de acompanhamento de maneira online, checagem do desenvolvimento dos projetos, ocasiões somente para brainstorms e também happy hours digitais, a fim de descontrair os colaboradores. 

 

5. Capacitação e Desenvolvimento  

A gestão de pessoas também tem a função de buscar valorizar seus profissionais por meio da capacitação, que cada vez mais tem sido atrelada ao desenvolvimento e retenção dos talentos nas empresas. Essa é uma maneira objetiva de indicar ao trabalhador que ele é reconhecido. 

Além de gerar benefício para o profissional e incentivar que ele fique na empresa, a capacitação também gera vantagens internas, pois garante que a equipe esteja em constante atualização, com colaboradores bem desenvolvidos e processos igualmente atualizados. Com isso, os resultados serão melhores e a organização com maior competitividade no mercado. 

Hoje, principalmente com o destaque dos cursos EAD os colaboradores podem se capacitar de maneira mais acessível e facilitada. 

 

Diferença entre RH e gestão de pessoas

Ao longo do texto citamos o RH no processo de gestão de pessoas, mas você sabia que são departamentos diferentes, utilizam estratégias diferentes e têm objetivos diferentes? Pois bem, vamos explicar! 

O RH tem funções mais metódicas, pode-se dizer assim, pois lida com tarefas que requer maior planejamento e tempo de execução, como organização de processos, controle de papelada, planos de carreira e contratação, além de recrutamento e seleção. E, para auxiliar os profissionais desse setor, existem sistemas que automatização uma parte das atividades e outros que somente auxiliam, para que o dia a dia deles fique mais ágil. 

Já a gestão de pessoas cuida de tarefas mais práticas, como liderança e administração, além de ter um maior entrosamento com gestores de cada área, com o intuito de proporcionar um suporte a eles. Por isso, os profissionais dessa área buscam estar mais conectados aos colaboradores e líderes, possibilitando uma melhor performance de ambos, focando na ampliação de resultados. 

Mas, vale ressaltar que o RH e Gestão de Pessoas ainda ganham uma ajudinha de outro setor que é o Departamento Pessoal, que lida com a temida burocracia, ou seja, documentos, legislação e demais regulamentos que exigem cumprimento rigoroso. Então, essa área compõe o Squad. 

Veja também: Recursos Humanos: o que é o RH, o que faz e tudo sobre 

 

Evite erros na gestão de pessoas 

Agora que você já compreendeu grande parte do processo que envolve a gestão de pessoas, é importante lembrar que erros podem acontecer, mas podem serem evitados. Muitos dos problemas que vamos listar a seguir são previsíveis, portanto, você pode escapar deles. E, são:

1. Ignorar os pilares da gestão de pessoas 

É comum que para algumas empresas os pilares não sejam aplicados de maneira correta na gestão de pessoas. Porém, tal fato acaba acarretando problemas na comunicação, na execução de projetos, no funcionamento da equipe e na retenção dos profissionais na empresa. 

Se esses fundamentos foram desenvolvidos e são trabalhados atualmente é por uma razão: ter um processo correto. Então, deixá-los de lado ou pular etapas faz com que a “roda” da gestão de pessoas apresente falhas. 

2. Falta de planejamento 

A maioria das atividades necessitam de estratégia, com a gestão de pessoas não é diferente. Por vezes, pode parecer uma tarefa simples gerir profissionais, mas é importantíssimo planejar e traçar metas, para que o investimento não seja em vão. 

O RH e Departamento Pessoal são setores que podem ajudar nas estratégias das ações da gestão de pessoas, além de contar também com a contribuição dos líderes que estão em contato diariamente com os colaboradores.  

Mas, não se esqueça, a análise de resultados está totalmente ligada ao planejamento, pois serve literalmente como parâmetro para continuar ou modificar determinadas ações. Pesquisas também são válidas nesse processo. 

3. Foco apenas em resultados 

Definir objetivos e metas desafiadores é importante, gera motivação e contribuição, mas ao longo do processo não se pode esquecer de que está lidando com indivíduos e não máquinas. Dessa forma, saturar as estratégias e os profissionais pode acabar impactando negativamente nos resultados, além de influenciar no ambiente de trabalho. 

Portanto, a gestão de pessoas envolve ouvir os colaboradores, motivá-los e saber impor limites saudáveis, tanto para os negócios quanto para a equipe de maneira geral. Ter essa noção diminui inseguranças e eleva até mesmo a criatividade, participação e crença no projeto envolvido. 

4. Recrutamento e Seleção mal definidos 

Contratar os profissionais certos é essencial para uma boa gestão de pessoas, mas essa é uma missão que demanda objetividade e clareza ao longo de todo o processo. Tudo inicia na construção da ideia de colaborador ideal. Depois prossegue com a divulgação da vaga, que precisa ser extremamente condizente com a realidade. 

Dessa maneira, ter requisitos definidos auxilia na analisa dos perfis e currículos recebidos e ajuda a traçar estratégia junto aos líderes que vão se relacionar com o profissional escolhido. Os gestores e coordenadores tem um importante papel nesse momento, especialmente por reconhecer o que espera da pessoa contratada. 

Continue a leitura sobre o tema em: Pandemia: 3 dicas para otimizar o processo de Recrutamento e Seleção (https://starsoft.com.br/blog/pandemia-3-dicas-para-otimizar-o-processo-de-recrutamento-e-selecao/) 

 

Como aplicar a gestão de pessoas

Os profissionais de gestão de pessoa, como analistas de RH, coordenadores e gerentes de recursos humanos são essenciais na aplicabilidade correta dos pilares, contudo, a tecnologia é uma aliada do setor, auxiliando a dinamizar os processos e torná-los acessíveis. 

Quando pensamos no pilar de capacitação e desenvolvimento, a tecnologia é indispensável. Tanto do ponto de vista dos colaboradores, que têm apoio do ambiente digital em treinamentos e cursos online, quanto dos gestores que podem avaliar o desempenho de suas equipes com o auxílio da Inteligência Artificial. Especialmente quando é necessária uma visualização panorâmica pré-determinada pela empresa, os softwares são ótimos aliados. 

A gestão de pessoas pode ser entendida como um ciclo que necessita ser trabalhado corretamente desde o primeiro passo. Então, o desenvolvimento do perfil para uma vaga precisa ser registrado em sistema, para que nas etapas mais à frente sirva como parâmetro de avaliação. A partir dessa ideia, os softwares de gerenciamento e demais soluções de RH são fundamentais em processos, como: 

  • Recrutamento e Seleção; 
  • Controle de frequência; 
  • Avaliação; 
  • Controle de competências; 
  • Comunicação com os colaboradores. 

Por fim, entende-se que a aplicabilidade da gestão de pessoas é garantida através de ações competentes, que envolve planejamento, escolhas assertivas, desenvolvimento e utilização de sistemas que auxiliam nas etapas estratégicas, ou seja, é realmente um esforço em prol de um aperfeiçoamento na atuação e nos resultados. 

 

Lorem Ipsum

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s.

Artigos relacionados

Quais as prioridades de tecnologia para 2022, segundos CIOs?
Como um CHRO pode se tornar mais estratégico em 2022?
Gestão Ágil veio para ficar ou é uma tendência passageira?