Compartilhe:

Receita Federal publicou uma série de novidades em relação à Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais, as quais são obrigações acessórias do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). 

O EFD REINF 2.0, também conhecido como a Nova EFD-Reinf, é uma atualização que o governo realizou nos últimos meses de 2021, com intuito de aumentar a automatização da fiscalização da receita federal.  

Lorem Ipsum

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s.

Além disso, o governo já disponibilizou a minuta dos registros da série R-4000, que traz uma série de modificações, passando a incluir retenções diversas, como: PIS, Cofins, IRRF e CSLL. 

Quais os objetivos da receita federal com o EFD REINF 2.0? 

Como foi citado anteriormente, o intuito é elevar o nível de automação do processo de fiscalização do governo, entretanto, o foco maior é centralizar, em uma única obrigatoriedade, todas as retenções do contribuinte que dizem respeito ao trabalho. 

Vale citar que desde a criação da EFD-Reinf, que trata apenas as contribuições previdenciárias, a receita federal já visava abarcar todas as obrigatoriedades em um único sistema. 

Minuta dos registros R-4000 

A partir desses objetivos de automação e centralização, em 2021, o governo publicou as mudanças que vão ocorrer já em 2022, por meio da divulgação da minuta dos registros R-4000. 

Essa minuta foi publicada em setembro de 2021, com o intuito de gerar conhecimento prévio aos desenvolvedores de softwares referente às alterações de layouts oficiais que entrarão em vigor em 2022.  

E, é importante saber que os registros da série R-4000 vão substituíram o R-2070, além de tratar das informações de retenções na fonte do Imposto de Renda, CSLL, Pis/Pasep, Cofins e agregado.   

Ressaltamos que essas obrigatoriedades são enviadas pelo SPED, que também faz o cruzamento das informações. Por isso, é importante que os dados estejam corretos e atualizados. Desse modo, evita-se multas e possíveis fiscalizações dos auditores fiscais. 

Quando as mudanças serão implementadas? 

Conforme o comunicado RFB nº 01 de 13 de janeiro de 2021, a previsão de inícios dos testes começa no início de janeiro de 2022. Sobre o novo layout oficial, a previsão de entrega é de que inicie em março de 2022.  

Entretanto, a versão EFD REINF 2.0, que contemplam os registros da série 4000, ainda não foi publicada de forma definitiva. Dessa maneira, podem haver novas alterações. Então, é preciso ter atenção. 

Entenda rapidamente das alterações neste novo EFD REINF 2.0 

Resumidamente, as minutas publicadas sobre o registro R-4000 servem para estudar e avaliar os registros, que substituíram o R-2070. 

Os registros do R-2070 tratam das informações de retenções na fonte do Imposto de Renda, CSLL, PIS/PASEP, COFINS e agregado. Assim, as minutas do R-4000 implicam em mudanças, como: 

R-4010 – Pagamentos/créditos a beneficiário pessoa física 

R-4020 – Pagamento/crédito a beneficiário pessoa jurídica 

R-4040 – Pagamento/crédito a beneficiários não identificados 

R-4080 – Retenção no Recebimento ou própria retenção 

R-4098 – Reabertura dos eventos periódicos série R-4000 

R-4099 – Fechamento dos eventos periódicos série R-4000, transmitido após todos os registros periódicos (de movimento) para fechar ou encerrar o período; 

R-9005 – Bases e tributos – retenções na fonte; 

R-9015 – Consolidação das retenções na fonte 

Vale lembrar que o próprio Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) transmite essas informações. Portanto, esses registros funcionam para consolidação e retorno das bases por parte da Receita Federal. 

Leia também: EFD fiscal e DIFAL(como calcular) 

Como se adaptar às alterações do EFD REINF 2.0? 

Como o fisco terá mais acesso aos dados das empresas, a integração e cruzamento serão ainda mais precisos. E, segundo especialistas da StarSoft, esses pontos vão exigir de gestores e colaboradores da área fiscal muito mais atenção, para que possíveis erros não virem autuações. 

Além disso, é importante que as empresas adquiram novos hábitos, especialmente em relação à transformação digital e conduta. Por isso, veja algumas de nossas dicas: 

  • Realize análises do regime tributário sempre que precisar; 
  • Esteja por dentro das informações cruciais da sua empresa; 
  • Contrate profissionais capacitados para atuar na área fiscal/tributária; 
  • Estabeleça sinergia com a equipe da área fiscal; 
  • Mantenha ética e responsabilidade; 
Acompanhe pontualmente as atualizações. 

Além disso, a área fiscal pode contar com softwares de gestão tributária que auxiliem no dia a dia da organização e prestação de contas ao governo. 

O ERP, por exemplo, é um excelente sistema que integra todos os setores da organização, centraliza as informações, mantem os dados atualizados e seguros, além de assegurar que a exportação para o sistema do governo seja correta. 

Por isso, procure um software de gestão empresarial e tenha controle de todas as entradas e saídas simultaneamente que ocorrem em seu negócio. 

Fale com um dos nossos especialistas e saiba mais sobre o StarSoft Application, nosso ERP para médias e grandes empresas alcançarem melhoras resultados!

Lorem Ipsum

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s.

Artigos relacionados

Quais as prioridades de tecnologia para 2022, segundos CIOs?
Como um CHRO pode se tornar mais estratégico em 2022?
Gestão Ágil veio para ficar ou é uma tendência passageira?