Como o RH pode auxiliar na inclusão de pessoas LGBTQIA+ nas empresas

Compartilhe:

Atualmente, a discussão a respeito da presença de diversidade no mercado de trabalho tem sido cada vez mais frequente. Por conta disso, grandes empresas e entidades avaliaram como que podem contribuir com a adesão de colaboradores plurais, impactando em maior representatividade, uma delas sendo a de pessoas LGBTQIA+. 

Mas, você sabe por que é importante haver inclusão nas empresas e como isso impacta positivamente? Compreenda neste conteúdo! 

Lorem Ipsum

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s.

Entenda a sigla LGBTQIA+

Até começo dos anos 2000, era comum que as pessoas conhecessem a comunidade pela sigla GLS, ou seja, Gays, Lésbicas e Simpatizantes. Um tempo depois foi atualizada para LGBT que acrescentou Bissexuais e Transexuais no contexto.  

Hoje, o termo engloba mais representatividade e incluí Queers, Intersexuais e Assexuais. Além disso, indica que existem mais formas de representação. 

Mas, é importante compreender que o termo atual engloba orientações sexuais e identidades de gênero. 

As orientações sexuais indicam a maneira com a qual uma determinada pessoa se sente atraída sexual e afetivamente por outros indivíduos. 

Já a identidade de gênero está relacionada à forma como a pessoa de identifica, ou seja, se há identificação como homem, mulher, os dois de maneira fluida ou, até mesmo, nenhum deles. 

Você sabe o que cada uma delas representa?

L: lésbicas  

Orientação sexual está atrelada a como mulheres cisgênero e transgênero se sentem atraídas por outras mulheres, de maneira afetiva e sexual.  

Cisgênero: relativo à identidade de gênero idêntica ao sexo que foi atribuído à nascença. 

Transgênero: Identidade de gênero diferente do sexo designado no momento de nascimento. 

G: gays  

Orientação sexual que se refere a homens cisgênero ou transgênero que sentem atração e afetividade por outros homens. 

 B: bissexuais  

Orientação sexual de pessoas que se relacionam afetiva e sexualmente tanto com mulheres quanto com mulheres.  

Vale ressaltar que inclusive pessoas transgêneros podem ser bissexuais, pois está atrelado à orientação sexual e não gênero. 

Identidade de gênero e mais

T: transexuais 

Este é um conceito relacionado à identidade de gênero. Dessa forma, pessoas que no momento de nascimento são dadas como mulher por conta do órgão genital, na realidade se enxergam como homem. Sendo assim homem trans. 

Ou, indivíduos que no nascimento são dados como homem por conta do órgão genital, mas se identificam como mulher. Sendo assim mulher trans. 

Q: queer 

O queer em português significa “estranho”. O termo em inglês foi utilizado por anos como uma forma pejorativa de chamar pessoas que não se identificavam nem como homem nem mulher. 

Assim, a pessoa queer não se identifica 100% com nenhum dos dois gêneros comuns na sociedade. Dessa forma, podem se enxergar como terceiro gênero, fluido ou andrógino.  

Além disso, podem apresentar características masculinas e femininas sem necessariamente se identificar com esse gênero. Sendo assim, sua sexualidade também pode não ser definida como hétero ou homossexual. 

Conforme explica a Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), queer está relacionado a indivíduos que não correspondem à heteronormatividade.  

Portanto, a orientação sexual, identidade de gênero ou expressão de gênero não são necessariamente atendidas como o esperado socialmente. 

I: intersexo  

A intersexualidade está relacionada a pessoas que nascem com genitais de um sexo, mas seu sistema reprodutivo e hormônios podem corresponder a outro. Pode ocorrer também de apresentar a anatomia sexual nem masculina nem feminina. 

Infelizmente, no passado, as pessoas chamavam erroneamente de “hermafroditas”. Assim, o termo é extremamente preconceituoso e não mais aceito socialmente. 

A: assexual  

Pessoas assexuais não sentem atração sexual, seja pelo sexo oposto ou pelo mesmo sexo. Contudo, não significa que não vão desenvolver relações afetivas e amorosas. 

O + na sigla indica que há outras variações de orientação sexual e identidade de gênero, ou seja, as pessoas são plurais e podem se expressar de diferentes maneiras. 

Importância da diversidade no mercado de trabalho 

A consciência de que vivemos em uma sociedade múltipla, com variadas culturas e estilos de vida faz com que preconceitos e discriminações diminuam cada vez mais. 

Assim, experimentar a diversidade na vida cotidiana e nas relações de trabalho promove a cultura, empatia, novas experiências e aumenta a pluralidade que pode haver nos espaços. 

Além disso, ao compreender que a inclusão de pessoas LGBTQIA+ nos ambientes de trabalho é uma ação necessária, as empresas contribuem para: 

  • Diminuição da marginalização de pessoas LGBTQIA+; 
  • Diminuição da violência contra essas pessoas; 
  • Aumento da capacitação; 
  • Desenvolvimento profissional; 
  • Criação de novas perspectivas. Entre outras. 

Contudo, a inclusão de pessoas LGBTQIA+ no mercado de trabalho ainda não acontece com tanta frequência.  

Conforme alguns dados de 2020, subtraídos a partir de levantamento feito pelo projeto ‘Demitindo Preconceitos’, o Brasil ainda está longe de atingir a adesão ideal. Veja: 

  • 38% das empresas têm restrições para contratar LGBTQIA+; 
  • Menos da metade dos profissionais brasileiros (47%) declaram orientação sexual no trabalho; 
  • Entrevistados afirmam que preconceito impede a oportunidade de emprego. 

Outro estudo realizado em 2018 apresenta que, 33% das empresas do Brasil não contratariam profissionais LGBTQIA+ para cargos de chefia. 41% das pessoas empregadas afirmam ter sofrido algum tipo de discriminação no ambiente de trabalho, por conta da orientação sexual ou identidade de gênero. E, 90% dos travestis entram em situação de prostituição por não conseguirem emprego, mesmo tendo boas qualificações. Dados extraídos do levantamento da Center for Talent Innovation. 

Ações de RH para promover inclusão LGBTQIA+ 

O RH, junto a líderes e tomadores de decisão, pode impulsionar a contratação de pessoas LGBTQIA+, como forma de promover a diversidade e pluralidade. 

Dentre as ações que os recursos humanos podem realizar, uma das mais relevantes está atrelada a como os profissionais de RH podem garantir a integridade dos colaboradores. Além disso, proibir discriminações! Contudo, há outras maneiras de promover inclusão, como: 

  • Desenvolva políticas de inclusão e estratégias de apoio a colaboradores LGBTQIA+; 
  • Promova educação e seminários sobre diversidade dentro da empresa; 
  • Garanta que o ambiente de trabalho seja seguro e respeitoso; 
  • Engaje lideranças LGBTQIA+; 
  • Utilize linguagem inclusiva na comunicação interna; 
  • Desenvolva ações de incentivo a contratações com diversidade; 
  • Estabeleça uma conscientização com gestores e líderes. 

Leia também: Linguagem inclusiva 

O que diz a Lei? 

A Constituição Federal e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) impedem qualquer discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero. Em 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) deferiu a criminalização da homofobia e da transfobia. 

Dessa forma, é importante manter políticas de antidiscriminação dentro das empresas, a fim de eliminar as chances de que tais atitudes ocorram no ambiente de trabalho.

Lorem Ipsum

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry’s.

Artigos relacionados

Quais as prioridades de tecnologia para 2022, segundos CIOs?
Como um CHRO pode se tornar mais estratégico em 2022?
Gestão Ágil veio para ficar ou é uma tendência passageira?